Fobia e Síndrome do Pânico

São distúrbios de ansiedade e ambos se caracterizam por medo intenso e irracional. Podemos considerar a fobia como um sentimento de pânico desencadeada  numa situação específica.


Fobia

É o medo exagerado e irracional diante de uma situação ou objeto específico como por exemplo: medo de aranha, andar de elevador ou passar por túneis e lugares muito estreitos; medo este que interfere na rotina de quem manifesta esse desequilíbrio, por causar limitações diante de determinadas circunstâncias. 

O indivíduo sofre de extrema ansiedade que pode provocar sintomas físicos como sudorese, aceleração cardíaca, falta de ar, desordem intestinal e até desmaios, além de ações e reações comportamentais imprevisíveis.


Pânico

A diferença que se conhece entre fobia e pânico, é que no pânico a primeira crise se dá sem motivo aparente e em qualquer situação; após a primeira crise, o indivíduo pode ter o mesmo transtorno ao passar pelo mesmo local ou bastando lembrar-se da situação vivida, desencadeando assim uma nova crise.

Os sintomas são basicamente os mesmos mas, no pânico o medo de morrer é mais intenso, podendo haver uma sensação de desconexão com a realidade.

Na Síndrome do Pânico a pessoa chega a pensar que pode morrer por um colapso provocado por estes sintomas ou pode achar que tem alguma doença grave. O corpo entra em estado de alerta para combater essa possibilidade de perigo e acaba por alimentar ainda mais todo o estado ansioso do indivíduo. Oferece graduações maiores de ansiedade a cada agravação do estado de alerta, desencadeando assim um círculo vicioso e provocando um mal-estar emocional, mental e físico de grande intensidade.

Existem alguns tipos de tratamentos para as fobia e o pânico e os mais usados são terapias combinadas. 

Comportamento e Enfermidades

Cursos     |     Atendimentos    |    Indicação de Fórmulas     |    Busca