Criança Interior, Jung e Florais

CM_Crianca

Na Mídia:

Matéria para o site Costurando Memórias
17/08/2017

 

Se existe algo muito bem “costurado” são as vivências e memórias da infância e a relação com e entre a família. Muitas famílias unem seus retalhos familiares com costuras suaves, pontos cheios de harmonia, verdadeiros bordados. Outras têm pontos mais característicos, rococós cheios de originalidade mostrando toda a liberdade de ser. E tantas outras acabam por tencionam muito os pontos, forçando demais a retidão da costura e perdem o equilíbrio do todo. E assim, vamos construindo nossas memórias na união de tantos retalhos familiares.

E é lá, quando a família vai costurando os retalhos da nossa 1a. infância que vamos construindo o “entendimento” que temos de nós e nossas atitudes, a partir das impressões que captamos do meio familiar. A criança que fomos e a qualidade da infância que as crianças têm, é o que vão formar o que chamamos de criança interior.

Muito basicamente, a criança interior é uma instância psíquica que se estabelece na infância e tem por característica fundamental estar em totalidade consigo própria, sem cisão com nenhum estado interior e portanto, a criança nessa etapa não tem problemas em si mesma. Ela representa a nossa mais profunda essência, a nossa natureza mais original em harmonia com o seu próprio ser. Neste estado, a criança não tem entendimento complexo e é inundada pela percepção da atmosfera do ambiente familiar / social, mas principalmente dos pais. E a mais importante herança que os pais podem deixar para os filhos, é uma criação liberta das crenças familiares negativas ou restritivas, aquelas que tentam impedir o melhor desenvolvimento da essência da criança. Essa herança só é transmitida por pais que buscam resolver as suas questões individuais como adultos conscientes e responsáveis por si mesmos. E tudo isso é um grande processo!

A criança interior vai influenciar profundamente toda a nossa vida através das nossa atitudes, sentimentos e comportamentos. A Psicologia Analítica Junguiana tem na criança interior um dos pilares que contribuem para a formação da personalidade. E para Carl G. Jung, pai dessa psicologia, esse é um tema longo e profundo. Justamente por isso, vamos abordar esse tema aos poucos mas, já dá pra perceber a importância da infância, do cuidado amoroso, do acolhimento e da atenção à formação nos primeiros anos. E é claro, da importância deste projeto! Esclarecer, trocar e co-criar espaços e dinâmicas familiares mais edificantes, harmoniosas e que nos levem ao crescimento consciente e responsável de nós mesmos e de nosso meio.

Como diria Jung:

“ Em todo adulto espreita uma criança – uma criança eterna, algo que está sempre vindo a ser, que nunca está completo, e que solicita atenção e educação incessantes. Essa é a parte da personalidade humana que quer desenvolver-se e tornar-se completa”
Carl G. Jung (1875 -196)

 

O cuidado das crianças e do humano, começa nas relações familiares e passa por muitas outras possibilidades. Uma dessas possibilidades de cuidado em saúde são as essências florais, reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde, inseridas e regulamentadas nas Prática Integrativas e Complementares em Saúde no Ministério da Saúde aqui no Brasil, e também registradas pela ANVISA.

Pra quem já conhece os florais eles dispensam apresentação. Mas pra quem ainda não conhece, muito basicamente os florais são um método natural para equilibrar as emoções, desenvolvidos em 1930 pelo Dr. Edward Bach, médico infectologista da Inglaterra. Traz uma informação em equilíbrio da natureza (flores e plantas) que por ressonância possibilitam o equilíbrio dos campos mentais e emocionais dos indivíduos.

Zinnia, o floral da criança interior:
Leveza, sorrir com espontaneidade e capacidade de brincar com bom humor e naturalidade. Essa é uma essência floral que trabalha a seriedade excessiva em adultos ou crianças que levaram a sério em demasia as responsabilidades ou fatos da vida e que por alguma razão, podem ter confundido responsabilidade com peso ou falta de humor. Essa essência que pertence ao Sistema Floral da Califórnia, diminui a tensão, alivia e e estimula a exteriorização de sentimentos, facilitando os relacionamentos entre pais e filhos.

Mariposa Lily, o floral da nutrição maternal:
Para estabelecer vínculos de nutrição emocional afetiva, acolhedora e uma maternidade positiva. Não somente para as mulheres, também para os pais que querem exercer a paternidade positiva com vínculo afetivo e acolhimento. Essa essência que pertence ao Sistema Floral da Califórnia, estimula a presença afetuosa e amorosa na maternagem com mais carinho e proteção feminina.

Baby Blue Eyes, o floral da paternidade presente e segura:
Para estabelecer vínculos entre pais e filhos numa presença apoiadora que traz confiança para atuar no mundo. Essa essência que pertence ao Sistema Floral da Califórnia, é recomendada tanto para pais que querem estabelecer uma paternidade mais presente, como para crianças que precisam perceber a presença paterna de forma positiva com segurança pessoal e social, lidando com a alteridade e a autoridade.

Informações importantes:
. As essências citadas aqui tem o objetivo de relacionar essências à estados emocionais. Não são indicações de fórmulas ou sugestões de ingestão. Trata-se de informação. Procure sempre um especialista.
. Florais não são medicamentos, são remédios para o autocuidado, de uso livre e sem efeitos colaterais (OMS).
. As essências florais trabalham pelo equilíbrio emocional e mental dos indivíduos, atuando no corpo físico por conseqüência desta harmonia;
. O tratamento com florais não substitui tratamentos médicos tradicionais ou vice-versa.

  • 5

    Avaliação

  • Avalie

Compartilhar

Também pode te interessar