E falando nisso…

chives-2337211-small-10797

Muitas vezes já me perguntaram coisas bem específicas e curiosas sobre o processo terapêutico. Por exemplo: como é atender pessoas em terapia e não influenciar ou ser influenciada; ou como pode alguém ouvir sobre tantas dores; ou ainda você dá conselhos ou não?

Nesta seção, Papo de Terapeuta, você vai encontrar textos que surgiram a partir de questionamentos no consultório, da curiosidade de algumas pessoas sobre a terapia e das conversas que acontecem com um terapeuta, neste caso eu. 🙂  Estes textos também podem ajudar você com esclarecimentos iniciais sobre a terapia ou talvez você possa achar a resposta pra alguma dúvida ou curiosidade que também já tenha tido.

Pra começar, talvez a dúvida mais comum pra quem nunca fez Terapia Floral. “Porque procurar um terapeuta se os florais são de uso livre e eu mesma posso escolher os meus florais?”

Sim, você pode! E isso é ótimo! Acredito que a maioria dos Terapeutas Florais  assim como eu, são totalmente à favor dessa liberdade.

Então, vamos lá!

 

Sozinho ou com Terapeuta?

Quando Dr. Edward Bach organizou as essências florais como conhecemos hoje, e assim elaborou o seu sistema (1930), tinha em mente que cada família poderia ter as essências em casa para ministrá-las de acordo com o estado emocional dos familiares.

É bem verdade que a auto-indicação de florais atende muito bem alguns estados emocionais agudos e pontuais. E por que não optarmos por utilizar os florais nessas situações? Na minha opinião devemos, já que o uso das essências é livre e sem contra-indicações.

Porém, hoje em dia com parâmetros culturais, sociais e psicológicos tão diferentes daqueles do início do século passado e com tantos sistemas florais a nossa disposição, no meu entendimento devemos ter o cuidado de utilizar apenas compostos emergenciais, compostos que atendam situações específicas e essências que não trabalhem conteúdos emocionais densos ou traumáticos. Isso, sem orientação profissional.

Apesar de não terem contra-indicações, algumas essências podem promover crises de conscientização, precipitando estados emocionais e até sensações físicas, numa espécie de “agravamento” de alguns estados.

E se as características ou comportamentos que queremos ou precisamos mudar são arraigados, não tem razão aparente ou foram “construídos” ao longo da nossa vida?

Continue lendo os posts abaixo e pra essa última pergunta, veja A Importância do Terapeuta.

Comportamento saudável

red_lily

Papo de Terapeuta – Neste texto você vai encontrar um pouquinho sobre esse assunto. Mas, o que é um comportamento saudável? E o que podemos fazer para alcançar isso?

Criança interior

red_close

Papo de Terapeuta – Criança interior é um termo muito utilizado em várias áreas das terapias. Você sabe afinal do que se trata a criança interior?

A importância do terapeuta

red_papoulajpg

Papo de Terapeuta – Qual a importância do terapeuta e qual a função básica dele num processo terapêutico? Você sabe porque é importante investir um tempo para encontrar um terapeuta adequado?

Seu amigo ou familiar faz terapia?

flor_cera

Papo de Terapeuta – Quando alguém fala pra você que está fazendo terapia, qual a sua reação? Você sempre entende e aceita essa escolha ou lá no fundo batem dúvidas ou desconfianças sobre as terapias?

Psicologia humanista

red_poppy

Papo de Terapeuta – A linha psicológica que mais traz paralelos adequados a terapia floral é a psicologia humanista. Você sabe o que é?

  • 0

    Avaliação

  • Avalie

Compartilhar

Também pode te interessar