Comportamentos e Enfermidades

Aefe

Os nossos comportamentos contribuem ou não para as nossas enfermidades?

Não existe uma resposta fechada para essa pergunta mas, existem teorias que apontam para uma resposta afirmativa. Dentro da visão humanista, estamos sempre buscando  o crescimento e o desenvolvimento das nossas potencialidades no sentido da auto-realização, preferencialmente em equilíbrio com a nossa própria natureza. Assim, estaríamos estabelecendo um comportamento saudável diante da vida e de nós mesmos. Mas o que é um comportamento saudável? E, antes disso, o que é saúde?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define saúde como sendo “o perfeito estado de bem-estar físico, mental e social dos indivíduos.  Sabemos que atingir um estado de perfeição é realmente impossível, porque somos indivíduos em processo de desenvolvimento, adaptáveis às várias fases e condições de vida, auto-submetidos a conflitos, expostos a crises pessoais , sociais, etc.

Com toda esta dinâmica é impossível atingirmos um estado de bem-estar físico e psíquico permanente. Portanto, podemos começar a pensar que adoecer é absolutamente normal, é pertinente a vida.

Geralmente, antes da doença física surgir, o nosso corpo psíquico já deu sinais de desarmonia. Podem ser sensações de cansaço, angústia, irritação ou estresse constante, medos que vão se tornando excessivos, etc, e, muitas vezes, vão sendo deixados de lado. Essas desarmonias podem desenvolver desequilíbrios emocionais, mentais ou físicos quando vividos por longos períodos ou sentidos intensamente e não  resolvidos.

A satisfação ou o grau de felicidade que sentimos está diretamente relacionado com a forma como entendemos e nos relacionamos com a vida. Se somos indivíduos que fazemos atividades ou nos relacionamos de forma condicionada sem perceber se elas nos trazem algum prazer, corremos o risco de ficarmos desconectados com as nossas vontades e talentos naturais. Assim a vida poderá ter um peso quase insuportável com o passar dos anos.

Se tivermos uma postura de pessimismo, já partindo do princípio que os enganos ou os desfechos não serão positivos em nenhum âmbito, muito provavelmente estaremos abrindo caminho para a insatisfação, a falta de motivação e para a melancolia.

Apesar de todo o nosso esforço na condução das atividades e relacionamentos, sempre existem situações imponderáveis e que influenciarão diretamente no desfecho dos acontecimentos. Isto por si só já seria motivo suficiente para estarmos conectados somente com a nossa motivação interna para darmos a partida nas nossas atividades e relacionamentos; porque  a conseqüência deles estará além de nós. Mas, conectados com a nossa motivação e acreditar de que estamos no lugar certo e vivendo as situações certas, conseguiremos ter a tranqüilidade necessária para percebermos a parcela de responsabilidade nas nossas atitudes diante da vida.

Prestar atenção e tentar compreender os nossos sentimentos, nossas posturas mentais e os possíveis desequilíbrios que estejamos vivendo é parte do caminho da cura, do retorno a harmonia.

Aguarde carregar a página e conheça mais sobre alguns comportamentos, sentimentos ou enfermidades logo abaixo, nesta seção.

  • 5

    Avaliação

  • Avalie

Compartilhar